quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Visite Guimarães na Quinta de Guimarães

Guimarães - Capital da cultura 2012!

A célebre e histórica cidade de Guimarães, dista aproximadamente 1h10m da Quinta de Guimarães (cerca de 81 km)– via rodoviária - e tem também acesso ferroviário da linha Ermida - Porto-Guimarães (informações em www.cp.pt).
Está situada num vale, aos pés do Monte de Santa Catarina – Monte da Penha, e é considerada o berço de Portugal por ter sido aqui que, em 1111, que nasceu D. Afonso Henriques, proclamado em 1179 primeiro Rei de Portugal.
O Centro histórico da cidade de Guimarães é, desde 2001, Património Mundial da UNESCO. Muito frequentado por estudantes e turistas, dá lugar a diferentes actividades culturais e lúdicas, principalmente no Verão. Na Montanha da Penha, que separa o vale e a montanha de Guimarães, pode observar uma paisagem natural única e encontrar monumentos, grutas, miradouros, campo de minigolfe, comboio turístico, centro equestre e áreas para passeio e pic-nic. Se escolher como meio de acesso ao local o teleférico, poderá apreciar de modo privilegiado a paisagem deslumbrante que aí se encontra.
A origem da cidade de Guimarães remonta ao século X, quando aí se mandou construir o convento de frades e freiras, o que transformou o local em pólo de atracção e fixação populacional. Para sua defesa, ergue-se entre os anos de 959 e 968 o Castelo e a villa desenvolve-se a partir destes dois pólos dinamizadores.
A partir do século XII o Convento é transformado em Colegiada e vários privilégios e doações lhe são concedidos por Reis e nobres. Em Guimarães desenvolvem-se várias indústrias e a villa ganha também importância no plano religioso, pelas peregrinações em devoção à Virgem de Santa Maria da Oliveira e a Nossa Senhora de Guimarães, padroeira de Portugal até ao séc. XVII. Em torno do Convento (Colegiada) e do Castelo é construída uma muralha defensiva e, a ligá-los, forma-se a Rua de Santa Maria. Ao longo dos anos, até ao século XV, estes dois aglomerados urbanos fundem-se num único, formando a organização e fisionomia da villa intramuros que praticamente se mantém até hoje. Extramuros, a instalação das ordens dos Dominicanos e Franciscanos contribui para a sua urbanização e alargamento e em 1853 é elevada à categoria de cidade pela Rainha D. Maria II. A partir daí é autorizado o derrube das muralhas, das quais é possível ainda hoje observar vestígios.
Como principais Monumentos a visitar, encontra em Guimarães: o Castelo, do qual já falámos anteriormente, a Capela de S. Miguel (estilo românico, séc. XII. Aí, segundo a tradição, terá sido baptizado D. Afonso Henriques), o Paço dos Duques de Bragança (séc. XV, com alterações nos sécs. XIX e XX), as Muralhas de Guimarães (segundo alguns historiadores remontam ao séc. X, apesar da maioria as atribuir aos sécs. XIV e XV), a Igreja de Nossa Senhora da Oliveira e o Padrão de D. João I (mandada reedificar no séc. XIV, pelo Rei D. João I em consequência de uma promessa feita à Virgem Maria pela sua vitória na Batalha de Aljubarrota), o Padrão do Salado (mandado erguer pelo Rei D. Afonso IV o séc. XIV para comemorar a vitória obtida na Batalha do Salado), os antigos Paços do Concelho (séc XIV, com traça de raiz), o Claustro da Igreja de S. Domingos (hoje é o Museu de Arqueologia - séc. XIV), a Capela de S. Torcato (construção visigótica, alterada com estilo românico do séc. XII), a Igreja de Santa Cristina de Serzedelo (séc. XIII), a Igreja de S. Martinho de Candoso (séc. XIII), a Citânia de Briteiros (vestígios de um povoado primitivo de origem pré-românica – vestígios de cultura castreja) e a Citânia de Sabroso (povoado edificado na Idade do Ferro).
E como Museus a visitar pode apontar-se o Museu de Alberto Sampaio (horário: Julho e Agosto, das 10h às 24h e de Setembro a Junho das 10h às 18h; encerra às Segundas-feiras), o Museu Arqueológico Martins Sarmento (horário: das 9h30 ao 12h e das 14h às 17h; encerra às Segundas-feiras e Feriados) e o Museu da Vila de S. Torcato (horário: das 10h às 12h30 e das 14h às 18h; encerra aos Sábados, Domingos e Feriados).
Deixamos ainda a sugestão de passear pela cidade sem rumo, desfrutando das pequenas vielas e deixando-se ir pelas curiosas lojas com artesanato da região. O centro da cidade está em parte fechado, apenas para zona pedonal, o que permite a que as esplanadas tenham outro encanto. Sugerimos que descanse numa pastelaria saboreando um dos bolos típicos da região, ou num destes restaurantes:    
Solar do Arco - www.solardoarco.com
Papa Boa – www.papaboa.pt
Torres - www.restaurantetorres.pt

Sem comentários:

Publicar um comentário